Relato de viagens. Compartilhando experiências, dicas criativas, fotos e orientações práticas para você programar a sua viagem. E Vamos Nessa!

Compartilhe

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Lima – turismo, parte 2

Parque do Amor, no bairro Miraflores - Lima
Parque do Amor, no bairro Miraflores - Lima 

Após passarmos três dias entre Cuzco e Machu Picchu, no quarto dia pela manhã voltamos para Lima. Desta vez o hotel escolhido foi o Casa Andina Classic Miraflores Santo Antônio, em Miraflores.

Depois de acomodados, procuramos colocar uma roupa mais fresca, em Cuzco a temperatura média era de 13ºC e Lima estava com 23ºC. Retornamos ao restaurante Punto Azul onde havíamos almoçado no primeiro dia. Realmente o local era tão agradável e comida boa que preferimos não arriscar indo a outro local.
Após o almoço pegamos um táxi e fomos conhecer o centro histórico de Lima. Lima foi batizada como Ciudad de los Reyes por seus fundadores espanhóis em 1535.
Os táxis de Lima não têm taxímetro, sempre há de se negociar o valor da corrida antes de entrar no táxi. Em média uma corrida é de S./10,00 (Soles).

Confesso a vocês que depois de um precioso almoço, regado com uma cerveja cusquenha foi difícil manter o interesse no tour.
Plaza de Armas - Lima

Locais de interesse no Centro Histórico de Lima


O coração do centro histórico é a Plaza de Armas, local sempre muito movimentado, Ao redor da praça foram construídos a Catedral e Palácio do Arcebispado, o Palácio do Governo e o Palácio da Municipalidade de Lima. A praça é muito ampla, dispondo de diversas árvores e muito verde, lindíssimos canteiros de flores e vários bancos de jardim.

A Catedral foi construída em estilo neoclássico e decoração barroca no seu interior. Possui altares revestidos com folhas de ouro. O túmulo de Francisco Pizarro, fundador de Lima, encontra-se também na Catedral.

Chama muito a atenção nas edificações históricas de Lima os "balcões" os quais dão a cidade uma aspecto muito peculiar. Os balcões, junto com os demais monumentos arquitetônicos de Lima, contribuíram para a UNESCO declarar o centro histórico da cidade como Patrimônio Cultural da Humanidade.


Apesar do cansaço não poderíamos deixar de conhecer a Igreja e Convento São Francisco de Assis onde estão as famosas catacumbas. As catacumbas são uma série de passagens subterrâneas onde se encontram os esqueletos de mais de 25.000 pessoas. Nestas passagens os ossos estão dispostos em fossos separados por tipos: fêmur, quadril, crânio... Mas nada de terror, na nossa visita havia crianças e ninguém demostrou nenhum temor.
A visita é guiada em espanhol ou inglês e custa S./ 7,00 (soles) com direito a meia entrada para estudantes.
A visita as catacumbas é a última parte do roteiro. Antes visita-se a basílica e o conjunto arquitetônico do convento que possui diversos ambientes com rica decoração. Em destaque a biblioteca que preserva cerca de 25 mil volumes entre manuscritos, incunábulos e obras raras; os jardins do convento decorados com azulejos pintados com cenas diversas; salas com pinturas das escolas de Cusco; móveis entalhados; e o belíssimo coro do convento.

Ao sairmos do convento procuramos ir em direção ao Mercado Central, passamos pela praça Bolivar, o prédio do Congresso e apreciamos o comércio, bares e restaurantes e algumas lojas de artesanato.
O Mercado Central de Lima é muito grande, lá encontra-se desde confecções a diversos gêneros alimentícios; frutas, verduras, variados tipos de carne, porém um pouco sujo e desorganizado e localizado em uma região não muito indicada para turistas.

Com dificuldade conseguimos um táxi para levarmos a Miraflores, devido o horário, fim de tarde, e o trânsito intenso e caótico de Lima vários taxistas recusaram a viagem.

À noite fomos procurar os bares brasileiros que ficam em Miraflores para assistir uma partida do futebol brasileiro. O Alô Brasil fica na rua das pizzas e o outro fica bem próximo. Nenhum passava o jogo mas valeu a saída para conhecermos a famosa rua das pizzas.
A rua das Pizzas fica próximo a Praça Kennedy, vai de um quarteirão a outro, com restaurantes, bares e casas noturnas de ambos os lados. Lá encontram-se casas brasileira, mexicana, caribenha e claro limenhas.
A decoração e a música das casas seguem o estilo de cada país, então vê-se uma profusão de música e cores. Os garçons ficam à porta cooptando os fregueses e cada um tenta fazer uma oferta melhor que o outro. A noitada ali vai longe...

Dia seguinte deixamos Lima e embarcamos para Miami.

Leia também: