Relato de viagens. Compartilhando experiências, dicas criativas, fotos e orientações práticas para você programar a sua viagem. E Vamos Nessa!

Compartilhe

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Planejando uma viagem para Cuba: 10 dicas úteis


Carros antigos em frente ao Gran Teatro de Habana, Cuba
Carros antigos estacionados em frente ao Gran Teatro de la Habana, Cuba
Motivada pelo anúncio de retorno das relações diplomáticas entre Estados Unidos e Cuba anunciadas pelos presidentes Barack Obama e Raul Castro em dezembro de 2014, coloquei Cuba na lista de países a serem visitados em 2015 no intuito de conhecer um país socialista que sobreviveu a um embargo comercial e financeiro desde 1961, ter contato com o povo cubano, sua musicalidade, apreciar os carros antigos, e degustar da famosa bebida nacional, o Mojito.
Definido Cuba com destino a ser visitado em 2015 inicie a leitura de blogs, revistas, guias procurando informações sobre como ir, o que fazer, onde ficar hospedado, melhor época do ano para visitar, etc.



1- Quando ir


Inicialmente, junto com amigas, escolhemos o mês de outubro para visitar a ilha de Fidel Castro, por haver um recesso escolar e a filha de uma delas também poder participar.
Mas vimos que nos meses entre agosto e outubro é melhor evitar a visita à ilha devido ao risco de furacões passarem pela região. Nem pensar viagem de turismo e furacões, aplicando-se a Lei de Murphy “Se alguma coisa tem a mais remota chance de dar errado, certamente dará”.
Segundo informações captadas em alguns sites, a melhor época  para visitar Cuba é na estação seca de novembro a abril com  temperaturas médias de 18 a 26 graus. De maio a outubro é a estação quente e mais chuvosa onde as temperaturas médias variam de 22 a 31 graus.
Eis que no fim de maio o site Melhores Destinos publica uma promoção da Copa Airlines com passagem para Havana a R$1.181,16, ida e volta, com conexão no Panamá. Normalmente o preço de passagem para Cuba fica em torno de R$3.000,00.
Imediatamente cliquei no link e adquiri a passagem para o período de 26 de maio a 03 de julho de 2015. Foi a primeira vez que comprei uma passagem internacional no impulso, sem verificar hospedagem, roteiro etc., mas tenho certeza que foi a melhor decisão, talvez se fosse analisar todas as situações que envolvem uma viagem teria perdido a promoção e estaria ainda sonhando com uma viagem a Cuba.

2- Quais cidade visitar


Vista do Capitólio Nacional,  Habana, centro e rua adjacente
Vista do Capitólio Nacional,  Habana, centro
Igreja em Trinidad, Plaza Maior, Cuba
Plaza Mayor em Trinidad, declarada  Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1988.
Com uma semana para visitar Cuba foi a hora de decidir quais cidades conhecer, meios de locomoção e hospedagem. Decidi por ficar 4 noites em Havana  e 3 noites em Trinidad, cidade histórica declarada Patrimônio Histórico da Humanidade em 1988. Creio que o ideal seriam duas semanas e incluiria Varadero (a praia mais famosa de Cuba) e  Cayo Santa Maria e Cayo Guilherme, refúgio de flamingos cor-de-rosa e praias de areia branca.

3- Hospedagem em Cuba


Casa colonial em Trinidad, Cuba
Casa particular para hospedagem em Trinidad. Todas as casas que alugam quartos mantêm um símbolo azul na porta que as identificam como casas de hospedagem.
Quanto a hospedagem decidi ficar em uma casa particular. Com o aumento do turismo na ilha e o avanços nos negócios privados, o governo autorizou a alguns cubanos alugarem quartos em suas casas. Considero que ficar hospedado na casa de um cubano há uma relação mais pessoal e intimista ao contrário das relações padronizadas de um hotel. Outro fator preponderante é o valor, enquanto que nas casas particulares o preço varia entre CUC$25 a CUC$35  em um bom hotel o valor fica entre CUC$150 a CUC$250. Reservei a última noite em Havana o Hotel Nacional, monumento nacional, um dos cartões postais de Havana. Diária CUC$178.

Leia mais em : Casas particulares - a melhor hospedagem em Cuba

4- A moeda de Cuba e qual dinheiro levar


DSCN1722
Dinheiro utilizado em Cuba. A esquerda o CUC - peso convertido cubano, e à direita o peso cubano. estão estampados nos CUCs os monumentos dedicados aos heróis cubanos e nos pesos cubanos (CUP) a imagem do herói cubano correspondente. Assim na nota de CUC$1,00 está o monumento a Jose Marti e no CUP$1,00 sua figura.
Curiosamente Cuba tem duas moedas em circulação no país. O peso cubano CUP utilizados pelos moradores e o peso conversível cubano (CUC) utilizado pelos turistas. Um CUC vale 25 pesos cubanos e um euro vale 1,07 CUC.
As Cadecas são as casas de câmbio oficiais, no aeroporto funciona 24h e estão espalhadas por toda a cidade. Os grandes hotéis também oferecem câmbio aos hóspedes.
Somente moedas de alguns países são aceitas para troca, o Real não é aceito, portanto leve dólares ou euros para permutar pelo CUC, de preferência o euro porque o dólar americano é sobretaxado devido ao embargo econômico.
Trocando 100 euros você receberá aproximadamente 107,15 CUCs, enquanto com 100 dólares receberá 86 CUCs.
Eu troquei 20 CUC por pesos cubanos o CUP mas eles tiveram pouca serventia, quase nada você paga-se em CUP, somente alguma fruta ou verdura. Também pegamos um táxi coletivo daqueles que vão pegando passageiro pelo caminho. Do centro de Havana ao Vedado calle Presidente paguei CUP$10, foi a única oportunidade de utilizar os pesos cubanos.
IMG_1458
Taxa de conversão do CUC exposta no Hotel Nacional

5- Cartões de Crédito


Em Cuba paga-se quase tudo em efetivo, os cartões de crédito são aceitos somente em hotéis e resorts. As casas particulares só aceitam CUC para pagamento da hospedagem. 
Devido às leis ao bloqueio comercial cartões de crédito de bancos americanos  não são aceitos em Cuba. Visa é a bandeira mais aceita. Porém é cobrada uma taxa de 8% de comissão sobre cartões de crédito.
Há a possibilidade de sacar dinheiro nos caixas automáticos e a moeda sacada é em CUC. Não utilizei esta modalidade, fiquei insegura quanto as sobretaxas e se realmente teria sucesso nesta empreitada.
A  maior despesa em Cuba fica por conta dos hotéis, principalmente em Varadero e nos Cayos que só tem resort all inclusive. Fiz a reserva do Hotel Nacional pelo site Cuba Travel Network e paguei no ato da reserva, o pagamento adiantado evita transportar mais dinheiro em espécie.

6- Visto e Seguro Saúde


Todo visitante necessita do visto de turista para entrar em Cuba. O visto não é aplicado no passaporte, ele consiste em uma Tarjeta de Turista emitido por sua companhia aérea,(no Brasil a única a emitir o visto turístico para Cuba é a Copa no aeroporto do Panamá) Consulado cubano que fica em São Paulo, Salvador e Manaus e a Embaixada em Brasília. O visto também pode ser solicitado pelo correio com o envio das cópias dos documentos exigidos e pagamento de taxa adicional. Informações aqui.
Esta Tarjeta de Turista é um documento importantíssimo. As casas particulares registram o hóspede pela Tarjeta de Turista, não conferem o passaporte.

Documentos necessários para a emissão do visto de turismo para visitar Cuba

Passaporte, bilhete de passagem de ida e volta, seguro saúde, comprovante de hospedagem ( é obrigatório apresentar pelo menos a hospedagem do primeiro dia), formulário preenchido  e pagamento da taxa consular no valor de R$48,00 (solicitei no dia 22 de junho de 2015)
Você não pode deixar Cuba sem apresentar a Tarjeta de Turismo, caso seja extraviada, a segunda via custa CUC$25
Desde maio de 2010, é obrigatório que os estrangeiros que visitam Cuba façam um seguro saúde de viagem com cobertura de despesa médica válido em Cuba.

Embaixada de Cuba no Brasil. Serviços Consulares

7- O que levar na bagagem para Cuba


O clima de Cuba é tropical predominantemente ensolarado e quente, com média de temperatura na casa dos 27 graus Celsius, portanto leve roupas leves, chapéu, protetor solar, sapatos confortáveis e chinelo e roupa de banho principalmente se for à praia.
Como de praxe, em qualquer viagem, fique atento aos seus medicamentos de uso continuo e outros eventuais como para uma enxaqueca, intoxicações alimentares, assaduras e outras.
Visitei uma farmácia e não vi remédios comumente vendidos no Brasil. Vi somente remédios manipulados e vidrinhos homeopáticos.
Para agradar algum cubano leve produtos de beleza e higiene, estes produtos são escassos por lá ou muito caros para os padrões cubanos.
Em Trinidad ao distribuir alguns shampoo e condicionador perto de uma feira de artesanato as senhoras ficaram tão satisfeitas que em troca ofereceram-me colares e pulseiras que estavam à venda em suas barracas.

8- Normas Alfandegárias


Câmara fotográfica e cinematográfica, celular, instrumento musical, binóculos, rádio, computador (laptop), Ipod, barraca, vara de pesca, bicicleta, canoa e outros equipamentos para esportes são permitidos entrar em Cuba, por outro lado Walkie Talkie e GPS não são permitidos. Confira aqui as disposições da Aduana aplicáveis aos turistas.
Na saída do país cada passageiro pode levar como parte de sua bagagem entre seus objetos pessoais:
  • Lembranças ou recordações da sua estada no país;
  • Presentes em quantidade que não denotam caráter comercial;
  • Até 3 garrafas de bebida alcoólica e 200 cigarros;
  • 20 unidades de tabaco avulsos, ou
  • Até 50 unidades de tabaco desde que estejam contidos na embalagem original. selados. com o holograma oficial;
  • Até US$5.000 ou seu equivalente em outras moedas.
Para ter acesso à lista completa, veja o site www.aduana.co.cu

9- Eletricidade e Tomada

Modelo de tomada utilizada em Cuba
Modelo de tomada utilizada em Cuba

O normal é a corrente de 110 - 60Hz. Alguns hotéis disponibilizam tomadas de 220 volts.
As tomadas são do modelo americano com dois pinos chatos e um redondo (terra).


10- Acesso à Internet


Por enquanto é melhor ignorar o uso do celular e computador em Cuba. O acesso à internet é fornecido pela Etcsa, empresa do governo que detém o monopólio dos serviços.  
Algumas casas particulares podem ter acesso à internet mas não podem ter Wi-Fi. Somente profissionais como jornalistas, médicos e advogados podem ter seu próprio roteador e uma rede Wi-Fi, mesmo assim, com autorização do governo.
Os principais hotéis oferecem o serviço pago, mas a conexão é lenta e cara (por hora CUC$6)


Finalmente, para os bilhetes aéreos adquiridos a partir de maio de 2015 não é mais necessário pagar a taxa de embarque de CUC$25 no aeroporto, na saída do país.
Como a medida era recente, e eu ainda não tinha conhecimento dela, depois do check-in fui logo procurar uma Cadeca para fazer o câmbio dos CUCs que sobraram. Afinal esta moeda (CUCs) não têm nenhum valor fora da ilha.