Relato de viagens. Compartilhando experiências, dicas criativas, fotos e orientações práticas para você programar a sua viagem. E Vamos Nessa!

Compartilhe

domingo, 29 de dezembro de 2013

Mudança na alíquota de IOF para gastos no exterior, o que fazer?

FreeDigitalPhotos

De um dia para o outro, faltando somente quatro dias para findar o ano, em pleno período de férias, muitos turistas foram pegos de surpresa. O governo publicou um decreto no Diário Oficial da União, edição extra, do dia 27 de dezembro de 2013 elevando de 0,38% para 6,38% a alíquota do Imposto sobre Operações Financeira (IOF) para pagamentos feitos com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior,  compras de cheques de viagem (Traveller Cheks) e carregamento de cartão internacional pré-pago, destinados a atender gastos pessoais em viagens internacionais.



Com a medida, essas operações passam a ter a mesma tributação que hoje incide sobre os cartões de crédito internacional, o IOF sobe de 0,38% para 6,38%.

Somente a compra de moeda estrangeira em espécie, feitas no mercado de câmbio brasileiro, não teve alteração em sua tributação e permanece com a alíquota de 0,38%.

O governo, de olho nos bilhões gastos mês a mês pelos brasileiros no exterior, atingindo a marca de US$1,874 bilhão no mês de novembro, e de janeiro a novembro de 2013 o total de US$23 bilhões, aplicou o aumento da tributação que resultará em uma arrecadação adicional estimada em R$552 milhões por ano.

Segundo o Ministro da Fazenda o aumento do IOF visa "conferir isonomia de tratamento ás operações com moeda estrangeira realizadas por meio de cartões de crédito internacional, que são tributadas pelo IOF em 6,38% desde 2011."

E agora, José? Qual o melhor dinheiro para levar para o Exterior?


Moeda estrangeira em espécie. 

A única modalidade que não sofreu alteração do IOF, permaneceu em 0,38%, porém a taxa nesta operação é menos favorável ao cliente. As casas de câmbio ou os bancos autorizados a trabalhar com câmbio vendem o papel moeda com a cotação superior as praticadas pelos cartões de crédito, acrescida de  taxa de serviço. A cotação empregada é a do mercado  turismo. Outra grande preocupação é carregar este dinheiro o tempo todo e o risco de ser roubado. Bau-bau dinheirinho.

Cheques de viagem (Traveller Cheks)

Com a popularização dos cartões eletrônicos esta operação caiu em desuso, as dificuldades para trocas devem ser muitas.

Saque em moeda estrangeira no exterior

Era a minha opção preferida, a medida do necessário sacava o dinheiro para pagar as despesas. Agora com a mesma tarifa de IOF do Cartão de Crédito Internacional, perdeu o  encanto, mas ainda necessário para aqueles países de difícil aquisição de papel moeda no Brasil.

Cartões pré-pago

O IOF foi elevado de 0,38% para 6,38%, equiparando-se aos cartões de crédito internacional.
São os cartões Visa Travel Money (VTM),  MasterCard Cash Passport, American Express Global Travel Card (AMEX). Utilizados para compras ou saques em caixas eletrônicos no exterior. A vantagem é que o câmbio é fechado no dia da compra da moeda, possuem senhas e podem ser bloqueados e reposto em caso de perda ou roubo. A desvantagem  é que as instituições financeiras utilizam uma cotação maior da moeda (dolar turismo) para carregar o cartão, e há um custo também para emissão e recarga do mesmo. Além disso é cobrado uma tarifa para cada saque realizado no exterior. Ideal para pessoas que necessitam controlar os seus gastos, quando atinge o valor carregado, somente com nova recarga é permitido fazer novos gastos.

Cartão de Crédito Internacional

Fornece uma  cotação para fechamento da fatura bem próxima do dólar comercial, mais o acréscimo do IOF de 6,38%, porém você fica  à mercê da flutuação do dólar até o dia do pagamento.  O câmbio considerado é o do dia do pagamento da fatura e não o do dia da compra. Uma das vantagens é algumas benesses oferecidas pelas administradoras dos cartões, como a conversão dos pontos para milhas e alguns cartões como o Visa Infinite  paga o seguro viagem do proprietário, cônjuge e dependentes, desde que a passagem tenha sido paga integralmente com o cartão Visa.

Certamente esta notícia não foi nada agradável para quem está viajando ou pretende viajar para o exterior. E agora? O que você pretende fazer? Viajar com os bolsos cheios de dinheiro e aproveitar o IOF de 0,38%? ou garantir o valor da moeda nos cartões pré-pagos? ou, utilizar o cartão de crédito internacional e ficar a mercê da flutuação do câmbio? Deixe a sua opinião nos comentários, ela será muito útil para todos que estão com a mesma preocupação como você.