Relato de viagens. Compartilhando experiências, dicas criativas, fotos e orientações práticas para você programar a sua viagem. E Vamos Nessa!

Compartilhe

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Melhor dinheiro para levar para o exterior

Atenção - Com a publicação do Decreto n. 8.175 de 27 de dezembro de 2013, publicado na edição extra do Diario Oficial da União do mesmo dia, o governo aumentou a alíquota do IOF para uso do cartões de débito no exterior, saque em moeda estrangeira e cheques de viagem. A alíquota passou de 0,38% para 6,38%. Com a medida, essas operações passam a ter a mesma tributação que hoje incide sobre os cartões de crédito internacional.  Saiba mais detalhes no post:


Programar uma viagem para o exterior ficou bem mais fácil. Há uma constante promoção de passagens aéreas, bem verdade que estas promoções, seguindo a Lei de Murphy, normalmente aparecem quando você está retornando das férias, sua poupança ainda não é suficiente para uma viagem ao exterior, ou mesmo não é para aquele momento que você planejou a sua viagem, mas de qualquer forma muita gente ainda aproveita.
Há também os sites, blogs, agências de viagens que propiciam informações detalhadas sobre variados destinos, hotéis, restaurantes, atrações para ajudar a você programar a viagem dos seus sonhos.
Porém outro item importantíssimo que não pode faltar no seu planejamento de viagem ao exterior é quanto e de que forma dispor do seu dinheiro.
Há basicamente quatro opções: dinheiro na moeda local, cartão pré-pago, cartão de crédito e cartão de débito do seu banco. Todas essas opções têm a sua vantagem e desvantagem.

Dinheiro na moeda local

Adquirir moeda estrangeira para viagens ao exterior exige operação no mercado de câmbio. Para fazer esta transação basta ter um CPF e um documento de identidade válido. É sempre bom levar algum dinheiro na moeda local, principalmente logo na hora que você chega para pegar um táxi,  dar uma gorjeta, comprar miudezas. O problema é que as casas de câmbio, ou os bancos autorizados a trabalhar com câmbio vendem o papel moeda com a cotação do mercado turismo, sendo esta cotação mais alta do que o mercado comercial, com o acréscimo de 0.38% de IOF, mais uma taxa de serviço.  Outra grande preocupação é carregar este dinheiro o tempo todo e o risco de ser roubado. No Banco do Brasil a taxa para compra do dinheiro em espécie é de 3% do valor da operação em reais.

Cartão Pré-pago

Atualmente no mercado temos os cartões Visa Travel Money, Mastercard Cash Passport e American Express Global Travel Card. Muito bom para pessoas controladas que conseguem planejar todo o gasto da viagem.  Servem para compras ou saques em caixas eletrônicos no exterior. A vantagem é que possuem senhas e podem ser bloqueados e reposto em caso de perda ou roubo. O problema é que a compra do dinheiro para carregar no cartão utiliza a cotação do mercado turismo mais o IOF de 0,38%, e há um custo também para emissão e recarga do cartão. No Banco do Brasil o custo de emissão e recarga do cartão é de R$50,00 por operação. Além disso é cobrado uma tarifa para cada saque realizado no exterior. O cartão Visa, Mastercard e Amex possuem a mesma tarifa de saque, 2,50 dólares, euros ou libras. O saque ocorre sempre na moeda local mesmo que esta seja diferente da moeda carregada no cartão. Mas preste atenção, porque há a incidência de uma taxa de câmbio, além da tarifa de saque, ao sacar em moeda diferente da moeda carregada no cartão.

Cartão de débito

Utilizando o cartão do seu banco para saques no exterior é cobrado um IOF de 0,38%, mais a tarifa de saque e ainda dependendo dos caixas eletrônicos ou ATMs podem cobrar uma tarifa pelo uso do ATM. Clientes do HSBC PREMIER podem fazer o saque em moeda local, nos caixas eletrônicos do banco no exterior sem pagar taxa nenhuma.

Cartão de Crédito Internacional 

Em qualquer moeda que você faça a compra o valor é convertida para o dólar e depois para o real. Fornece uma  cotação para fechamento da fatura bem próxima do dólar comercial, mais o acréscimo do IOF de 6,36%, porém você fica  à mercê da flutuação do dólar até o dia do pagamento porque o câmbio considerado é o do dia do pagamento da fatura e não o do dia da compra. Uma das vantagens é algumas benesses oferecidas pelas administradoras dos cartões, como a conversão dos pontos para milhas e alguns cartões como o Visa Infinite  paga o seguro viagem do proprietário, cônjuge e dependentes, desde que a passagem tenha sido paga integralmente com o cartão Visa.
Com o cartão de crédito você também pode fazer saques em moeda local no exterior, a taxa de IOF é de 0,38%, mais uma tarifa de saque variável de acordo com o seu banco. O Banco do Brasil cobra uma tarifa fixa de R$12,00 reais, e, dependendo dos caixas eletrônicos ou ATMs que você utilizar é cobrado uma tarifa.
O saque em moeda local com o cartão de crédito é a modalidade que eu mais utilizo, o valor do saque é incluído na fatura do cartão, e como já disse a cotação é o dolar comercial, a desvantagem é ficar à mercê da flutuação do dolar no pagamento da fatura.

Mas se a sua viagem for para Argentina, Uruguai e Paraguai (Cidad del Este) não se preocupe em levar pesos argentinos e uruguaios, porque certamente você pagará mais caro com a compra da moeda no Brasil. É preferível sacar com o seu cartão internacional nos caixas eletrônicos locais. É comum nas cidades destes países você receber a conta para pagar com os valores informados em dolares, pesos, reais e até em euro. Mas o câmbio aplicado é sempre favorável a eles, portando faça o saque na moeda local com o seu cartão internacional e o câmbio será mais próximo do comercial.

No período de 25 de março a 15 de junho visitei Punta Del Este, Montevideu, Colônia del Sacramento, Buenos Aires e Cidad del Este. Para esta viagem levei alguns dólares para o caso de emergências ou fazer uma boa negociação, mas preferi não utilizá-los. Primeiro porque quando adquiri estes dólares no Brasil a cotação do comercial estava em torno de 2,04 do real, mas acabei pagando-o  a 2,17 (incluindo IOF e taxas). Segundo porque é muito estressante, a toda hora em que  for fazer um pagamento, calcular a operação mais vantajosa. Acabei fazendo saques e algumas compras no cartão de crédito. No final de junho recebi a fatura do cartão de crédito com a cotação do dolar a 2,07. 
 
Atenção - Os caixas automáticos  credenciados para saques no exterior devem ter a indicação da rede Visa/Plus ou Mastercard/Cirrus ou Amex conforme gravado nas costas do seu cartão. È necessário a liberação do cartão para uso no exterior.

Eu prefiro levar um pouco de dinheiro para os gastos imediatos, pagamento de gorjetas e utilizar o cartão de crédito para compras e saques. O blog Viaje na Viagem publicou uma matéria detalhada sobre o assunto:   Dinheiro no Exterior: dólar ou euro x débito x crédito x VTM.
Vale a pena ler e tirar as suas próprias conclusões.

E você, qual a modalidade prefere para levar dinheiro para o exterior? compartilhe conosco a sua experiência. E, Viagens - Vamos Nessa!!!